Estudantes da UFMT ocupam reitoria em protesto pela educação

Por Aliana Camargo


Cerca de 800 estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) ocuparam a reitoria na manhã desta quinta-feira (15) para exigir melhorias. Entre elas a garantia de 10% do PIB brasileiro para distribuir entre as instituições de nível superior no país.

A reitora Maria Lúcia Cavalli Neder está reunida com representantes dos alunos, desde às 10h20 no auditório do CCBS 3, setor da saúde na UFMT.

Conforme o resultado da discussão entre estudantes e a reitora, a ocupação da reitoria poderá ser permanente com outros atos públicos para esta semana.

A primeira reivindicação das 20 pautas, discutida entre estudantes e a reitora Maria Lúcia Cavalli Neder é sobre a obrigatoriedade, prevista na Constituição em destinar 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação brasileira.

Gabriel Soares/Hipernotícias
Mais de 800 estudantes protestam em frente à reitoria da UFMT, pedindo melhorias como a reabertura do Restaurante Universitário (R.U.) e da biblioteca

Outras exigências feitas pelos estudantes são: ampliação do número de bolsas, reabertura do Restaurante Universitário e da biblioteca; abertura de vagas para a Casa do Estudantes Universitário; construção da creche para filhos de estudantes e servidores, promessa esta feita durante campanha pela reitora; conclusão do hospital veterinário; acessibilidade para os alunos portadores de necessidades especiais; construção do hospital universitário.

A reitora Maria Lúcia disse que vai fazer um trabalho político, tentando articular com os deputados e senadores de Mato Grosso para que as propostas sejam levadas a Brasilia.

O estudante de Ciências Sociais, Jelder Pompeu, disse que o movimento busca melhorias estruturais e na capacitação de professores. “Precisamos de mais professores, queremos que concursos sejam feitos para suprir a necessidade. Vamos fazer uma reunião com estudantes para decidir se acampamos ou não”, informou.

A reunião não tem hora definida para acabar, já que estudantes estão decididos em discutir a maioria das reivindicações.

Gabriel Soares/Hipernotícias
Estudantes se reúnem com a reitora para debater as reinvidicações; conforme o resultado, a reitoria pode ser ocupada

EDUCAÇÃO DEFASADA

O Hipernotícias acompanhou a greve dos estudantes de medicina que durou 60 dias, entre junho e agosto deste ano. A UFMT amarga três décadas esperando um hospital universitário que tenha infraestrutura de qualidade e que comporte demanda e necessidades dos estudantes.

Os estudantes de medicina continuam mobilizados através da frente de luta dos acadêmicas, que agora é encampada por outras faculdades da UFMT.

A UFMT já firmou parceria com o Governo do Estado para a construção do novo Hospital Universitário com capacidade para 250 leitos. O total do investimento que é de R$ 120 milhões será divido entre União e Estado, estima-se que a construção fique pronto em 2015.  (Com informações de Gabriel Soares)

Fonte: Hiper Notícias

Visite o website: http://www.hipernoticias.com.br
Postar um comentário

Postagens mais visitadas