Doze mortos em ataque contra a Otan e a embaixada dos EUA em Cabul

A prepotência imperial sofreu mais um duro golpe no Afeganistão. Talibãs fortemente armados lançaram nesta terça-feira ataques coordenados contra o quartel-general da organização terrotista OTAN e contra a embaixada americana em Cabul, matando doze pessoas, incluindo seis rebeldes, segundo registros desencontrados e ainda não confirmados.


Cinco horas depois do início dos ataques, os disparos continuavam a ser ouvidos na capital afegã. O governo-títere afegão confirmou a morte de quatro civis e dois policiais, além de seis rebeldes. Segundo a fonte, pelo menos dois militantes talibãs ainda resistem aos contra-ataque.

Oficiais afegãos informaram que os atacantes se entrincheirados num prédio em construção próximo ao quartel-general da OTAN e da embaixada americana, trocando tiros com as forças de segurança e dois helicópteros dos invasores que sobrevoavam a área.

Fumaça nas proximidades da Otan, em Cabul
Fumaça nas proximidades da Otan, em Cabul

Rebeldes em separado também tentaram atingir postos policiais em algumas das partes supostamente mais protegidas da capital. Segundo fontes afegãs, os atacantes eram homens-bomba.

Esses ataques simultâneos são os mais coordenados por parte dos talibãs em sua campanha para tentar derrotar o governo de Cabul e as forças ocidentais aliadas. A ação aplica um duro golpe contra o governo e à OTAN, pois evidencia falhas primárias na segurança da capital.

A embaixada americana em Cabul - uma das maiores missões diplomáticas e uma das mais bem protegidas do mundo - confirmou apenas "um ataque nos arredores".

"Não há vítimas entre o pessoal da embaixada", declarou ainda o porta-voz Kerri Hannan, em um e-mail sem maiores detalhes.

Um funcionário do Ministério do Interior afegão, falando sob a condição de anonimato, informou que quatro policiais e dois civis foram mortos.

As versões sobre as mortes ainda são confusas. Outras fontes afirmam que cinco civis e três policiais ficaram feridos.

Segundo um porta-voz da polícia, Hashmat Stanikzai, dois talibãs ainda se encontram entrincheirados no prédio em construção, mas as forças de segurança já conseguiram chegar até o terceiro andar.

A Isaf confirmou seu apoio aéreo, apesar de o chefe da Otan, Anders Fogh Rasmussen, ter declarado sua confiança de que as forças afegãs - oficialmente são responsáveis pela segurança na capital - seriam capazes de controlar a situação.

Fontes afegãs informaram ainda que três insurgentes foram mortos no prédio e os outros três, na estrada para o aeroporto, mas não forneceram maiores detalhes.

Um porta-voz do talibã enviou uma mensagem de texto à AFP afirmando que os alvos eram o quartel-general da Isaf, a embaixada americana e a agência de segurança afegã (NDS), além de outros lugares "sensíveis" do governo.

"Hoje, a uma hora em Cabul, foi desencadeado nos arredores de Abdul Haq, em Cabul, um ataque suicida em massa contra instalações da inteligência local e estrangeira", escreveu Zabiullah Mujahid na mensagem.
"Eu estava em minha loja quando, de repente, ouvi uma explosão. E depois começou o tiroteio", contou um comerciante local. "As pessoas começaram a correr. Tive que abandonar minha loja e procurar um local seguro", acrescentou.

As fotos abaixo acabam de ser publicadas na edição de hoje do The New York Times.










Postar um comentário

Postagens mais visitadas