Solidariedade ao companheiro Joaquim demitido pela AMBEV por defender os direitos dos trabalhadores



Toda solidariedade ao companheiro Joaquim Aristeu Benedito da Silva, militante do Bloco de Resistência Socialista e da CSP-Conlutas demitido por justa causa por ter denunciado morte de trabalhador na AMBEV onde o companheiro trabalhava. Exigimos sua integração imediata. Segue abaixo relato do companheiro sobre todo o processo assim como a solicitação de solidariedade a todas as organizações da classe trabalhadora.


UM RELATO SOBRE OS MOTIVOS QUE LEVOU A AMBEV A NOS DEMITIR POR JUSTA CAUSA


* Por Joaquim Aristeu Benedito da Silva
 
Companheiros e companheiras, já estou na luta dos trabalhadores a mais de 30 anos, só na AmBev agora em agosto faço 24 anos, e faria tudo de novo principalmente das coisas certas que fiz e corrigiria algumas das coisas erradas que com certeza cometemos durante todos estes anos, mais de uma coisa eu não abriria mão de maneira alguma, defender aqueles que hoje só detém sua força de trabalho contra a exploração e a opressão por parte dos patrões.
E  se neste momento estou bastante preocupado com a minha condição pessoal, aliás, tenho uma família e sei das dificuldades que uma justa causa pode me trazer para mim e para eles,  porém tenho muito orgulho por estar sendo demitido por justa causa temporariamente porque não trai os trabalhadores e junto com outros 4 valentes cipeiros e os representantes do sindicato não abrimos mão em defender o trabalhador morto e denunciamos  as falhas da empresa no acidente e não aceitamos as pressões para que omitíssemos com relação aos verdadeiros culpados pelo  acidente e a morte  de um trabalhador de 25 anos de idade e um filho que ainda nasceria daqui a três meses.
Não nos curvamos diante da maior cervejaria do mundo, ficamos do lado dos trabalhadores, e isso fez com que houvesse dois relatórios no acidente, um da chefia votado pelos seus aliados e cipeiros traidores, e outro relatório que foi votado por 5 cipeiros entre eles nós, relatório este incorporado pelo nosso sindicato que estava presente na reunião e na investigação.
Saindo desta reunião nós confeccionamos uma ata paralela relatando aquilo que nós como o condutor da reunião, haja visto que quem teria que dirigir esta reunião o presidente da Cipa não se fazia presente e eu como vice presidente a contra gosto da gerencia havíamos dirigido a reunião, só que a ata oficial seria feito por gente da empresa e não estaria relatado nada daquilo que havíamos falado na reunião.
Depois de feito esta ata nós tornamos ela publica e junto a isso a CSP- Conlutas havia votado uma moção de apoio sobre o ocorrido e colocado esta moção em seu site, também o CWI/CIT organização internacional a qual  eu Joaquim milito publicou na integra a moção publicada pela CSP-Conlutas e a mesma circulou em mais de 45 países, isto fez com que a direção da AMBEV ficasse muito zangada, inclusive na reunião da Cipa a qual houve a votação sobre o acidente a gerencia me ameaçou devido à moção que estava circulando no site da CSP- Conlutas.
Passado 42 dias após o acidente e 5 dias após eu ter retornado de férias fui chamado pela gerencia e comunicado que haviam aberto uma comissão de investigação e que devido a estas minhas denuncias na internet e no site da CSP-Conlutas sobre o acidente eu estava sendo demitido por justa causa.
Camaradas diante  deste relato eu gostaria de chamar o apoio de todas e de todos, trabalhadores, sindicalistas, dirigentes do movimento sindical e popular e estudantes, e realizássemos uma grande campanha denunciando esta sacanagem da maior cervejaria do mundo e exigir o nosso retorno imediato para dentro da AmBev.


*Joaquim Aristeu Benedito da Silva
 Vice – Presidente da CIPA na AMBEV -2011/2012. Militante do Bloco de Resistência Socialista e da Direção Executiva da CSP-Conlutas – SP.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas