EIKE BATISTA OBRIGA TRABALHADORES DO PORTO DO AÇU A ENTRAR EM GREVE

Trabalhadores em greve bloqueiam via de acesso ao Porto do Açu (31/3) (Foto: Aluízio Freire/G1)
Trabalhadores em greve bloqueiam via de acesso ao Porto do Açu (31/3) (Foto: Aluízio Freire/G1)
 
Após três dias de greve, os trabalhadores do consórcio ARG Civil Port, leia-se LLX, que atua nas obras do empresário Eike Batista no Porto do Açu , em São João da Barra (RJ), mantêm a paralisação nesta quinta-feira (31).

Trabalhadores em greve bloqueiam via de acesso ao Porto do Açu (31/3) (Foto: Aluízio Freire/G1)
De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil e Mobiliário, a reunião realizada na noite da quarta-feira não resultou em acordo.

Os trabalhadores, que nesta manhã voltaram a bloquear a via de acesso ao porto - inclusive com queima de pneus -, reivindicam melhoria salarial, adicional de 30% de periculosidade, participação nos lucros e resultados, seguro de vida e adaptações no alojamento.

Ainda conforme o sindicato, uma nova reunião será realizada na tarde desta quinta-feira (31), na tentativa de negociação.

Nesta quarta, a LLX disse que cerca de 300 trabalhadores estariam em greve. Já segundo o sindicato, a paralisação reúne cerca de 1.200 funcionários - número mantido nesta manhã.

“Não concordo que os trabalhadores voltem a trabalhar sem nenhuma definição”, disse o presidente do sindicato, José Carlos da Silva Eulálio. Segundo ele, na reunião realizada na quarta-feira, no Ministério do Trabalho, entre representantes da empresa, a comissão dos trabalhadores e o sindicato, o fiscal do governo sugeriu que os operários voltassem ao trabalho enquanto o sindicato continuasse as negociações.

“Essas reivindicações fazem parte de uma convenção já vencida, ou seja, eles têm é que cumprir os pedidos dos trabalhadores”, acrescentou o presidente.

Complexo do Açu


Duas viaturas patrulhavam o local nesta quinta-feira (31/3) (Foto: Aluízio Freire/G1)
Duas viaturas patrulhavam o local nesta quinta-feira
(31/3) (Foto: Aluízio Freire/G1)
O complexo em construção é considerado um dos maiores empreendimentos de Eike e inclui a construção de um terminal portuário, com previsão para entrar em atividade em 2012, além de estaleiro, usina térmica a gás natural, entre outras instalações, numa área total de 9 mil hectares. O investimento total é de R$ 3,4 bilhões, sendo que R$ 1 bilhão só no terminal portuário dedicado ao minério de ferro.

De acordo com Eulálio, a greve começou à 0h e o acesso ao canteiro de obras está bloqueado desde as 5h de terça-feira (29). "O movimento é pacífico. Dormimos na estrada e não houve tumulto", disse.

Segundo a LLX, a paralisação ocorre apenas no píer de minério – que, atualmente, está com 65% das obras executadas. No total, atuam no Porto do Açu 1.943 trabalhadores e a obra segue em andamento.


Porto do Açu (Foto: LLX/Divulgação) - Gigantesco complexo portuário destinado à exportação de minério para a China


Postar um comentário

Postagens mais visitadas