DESGOVERNO ROSEANE SARNEY OBRIGA PMS E BOMBEIROS A ENTRAREM EM GREVE


A greve da Polícia Militar e dos Bombeiros do Maranhão teve início na quarta-feira, dia 23, por conta da insensibilidade e do descaso do governo Roseana Sarney com as duas categorias. Os batalhões de São Luís, Imperatriz, Timon, Caxias, Bacabal, Presidente Dutra, Santa Inês, Pindaré, Balsas, Barra do Corda, Pedreiras entre outras já aderiram a paralisação.

Cerca de 200 homens da Força Nacional, atendendo a solicitação da governadora Roseana Sarney, já estão em São Luís, alojados no Castelinho e no 24º Batalhão de Caçadores, a fim de substituir os militares nos presídios e nas ruas. A diária de cada homem deve custar R$ 250,00, o que totalizará uma despesa de aproximadamente R$ 50 mil por dia aos cofres do Estado.

Em virtude da iminente paralisação, já foram abertos procedimentos administrativos no intuito de apurar as responsabilidades dos grevistas. Já existe inclusive um mandado de prisão em branco assinado pelo Comandante-geral da PMMA, Cel PM Franklin Pacheco, para punir aqueles que participarem do movimento paredista.

A concentração do movimento em São Luís deverá ocorrer em um local (já foi definido, mas que não podemos revelar o nome) das 7h às 17h. Em seguida, será realizadas caminhadas pela cidade, com a participação de familiares dos policiais, com mulheres, crianças, jovens e simpatizantes.

Os militares reivindicam reposição das perdas salariais de 2009 a 2011; 30% mais TR (inflação acumulada do ano anterior) em cada ano de 2012 a 2015 previsto no PPA (Plano Plurianual); cumprimento do escalonamento transitado e julgado na 4ª Entrância da vara de Fazenda.

Os policiais militares refutam a versão do governo do Estado de que o PM do Maranhão recebe o sétimo salário no ranking nacional. Segundo eles, esta é uma análise feita pelo subsídio. “As gratificações que não incorporam (adicional noturno e insalubridade os quais os policiais militares maranhenses não recebem) forma o 14º salário entre os estados”, afirmam.

Quanto ao escalonamento, levando em consideração sua implantação (que não foi cumprida) e mais as reposições da inflação, o tenente-coronel está perdendo no seu salário R$ 3.399,00; Major R$ 3.280,00; Capitão R$ 2.821,00; 1º Tenente R$ 3.854,00; 2º Tenente R$ 3.670,00; Aspirante a Oficial R$ 3.135,00; Alunos R$ 2.264,00; Subtenente R$ 3.281,00; 1º Sargento R$ 2.890,00; 2º Sargento R$ 2.520,00; 3º Sargento 2.051,00; Cabo R$ 1239,00 e Soldado R$ 950,00.

Fontes: Polícia Consciente e Polícia.br

Postar um comentário

Postagens mais visitadas